Anfepramona Emagrece Mesmo? Foi Liberada? Onde Comprar! – Bula

A Câmara dos Deputados liberou recentemente, em junho de 2017, uma lista de medicamentos emagrecedores que haviam sido proibidos pelo Senado em 2011, por recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa. O clima ainda é de incerteza, enquanto especialistas divergem quanto à segurança desse tipo de remédio. O fato é que a sibutramina e a anfepramona (sobre a qual vamos falar hoje), dois dos mais comuns nessa área, estão de volta nas prateleiras. Além desses dois, há apenas outros três registrados no Brasil: o femproporex, o mazindol e a orlistate.

Apesar das polêmicas, o que mais se recomenda é que a pessoa obesa busque formas naturais de chagar a um peso saudável, como uma reeducação alimentar e um programa de exercícios físicos. Mas a gente sabe que, em alguns casos, isso não basta.

Por isso, daremos aqui o máximo de informações possível sobre a anfepramona, pra que você possa tomar uma decisão segura e embasada.

Para que serve Anfepramona

A anfepramona é indicada para tratar:


  • obesidade exógena (a causada pelo excesso de alimentos)
  • obesidade mórbida (quando a pessoa ultrapassa 40 no IMC, de acordo com a OMS, valor em que o peso se torna um risco à vida)
  • sobrepeso patológico (estilo de vida sedentário que o paciente não consegue mudar)

Em todos os casos, o tratamento deve ser acompanhado de dietas e um programa de reeducação e de exercícios, já que o uso do medicamento é por um tempo limitado e o paciente precisará manter o peso que foi perdido.

obesidade mórbida Anfepramona

Como funciona a Anfepramona

A anfepramona provoca um efeito anoréxico, ou seja, faz com que a pessoa sinta cada vez menos fome, coma menos e, consequentemente, emagreça. Ao mesmo tempo, o medicamento acelera o metabolismo, facilitando a queima de gordura corporal.

A anfepramona é uma amina simpaticomimética, parente da anfetamina. Ela age no Sistema Nervoso Central, mais especificamente no centro hipotalâmico da saciedade, liberando norepinefrinainibindo e, com isso, inibindo a fome. Como a droga-irmã, a anfepramona tem potencial de dependência e efeito alucinógeno. O efeito do medicamento também diminui com o uso. Por isso, o tratamento é curto.

Esse medicamento emagrece de 9 a 15 quilos em cerca de 3 meses.

Como usar a Anfepramona

O remédio deve ser usado via oral, consumido com água, duas horas antes das refeições e tendo tomado café-da-manhã. Usar entre 50 e 150 mg por dia, em duas ou três doses espaçadas.

Essa é apenas uma recomendação. Para saber a posologia mais adequada para o seu tratamento, consulte um médico.

Anfepramona obesidade

Composição

O principal componente da anfepramona é o cloridrato de anfepramona, que também pode ser encontrado, em doses menores, em remédios similares como o Dualid, o Hipofagin e o Inibex. Não há mais informações online sobre as demais substâncias do medicamento. Consulte um especialista para saber os componentes que podem gerar alergia ou reações adversas.

Contraindicação

A anfepramona não deve ser usada por pacientes com níveis de obesidade menores do que IMC 40 ou abaixo da classificação “morbidez”. Também é contraindicado para pessoas com histórico de:

  • hipertensão arterial sistêmica grave
  • doença aterosclerótica avançada, como angina estável, angina mesentérica, infarto do miocárdio ou acidente vascular encefálico
  • arritmias
  • epilepsia
  • insuficiência hepática ou renal
  • glaucoma
  • hipotireoidismo
  • hiperplasia de próstata
  • alcoolismo

Riscos da Anfepramona

Alguns dos principais efeitos colaterais da anfepramona tem relação com o coração. Por isso, obesos que têm problemas cardíacos devem tomar cuidado antes de fazer uso do medicamento. No entanto, há casos em que os benefícios são maiores que os riscos.

Como esse remédio atua no sistema nervoso, ele tem efeitos diretos sobre o cérebro, o que significa que pessoas com transtornos mentais podem ter complicações. Pacientes com histórico de convulsões e hipertensão pulmonar também devem relatar isso ao médico.

Efeitos colaterais da Anfepramona

As reações adversas mais comuns são:

Anfepramona engorda

  • boca seca
  • insônia
  • vertigem
  • alterações do paladar
  • constipação intestinal
  • náusea, vômitos e diarreia
  • irritabilidade

Há ainda alguns efeitos colaterais raros, mas que merecem atenção para os pacientes mais sensíveis:

  • taquicardia
  • hipertensão arterial
  • dor torácica
  • cefaleia
  • psicoses
  • depressão e ansiedade
  • tremores
  • disfunção sexual
  • ginecomastia

Superdosagem

O paciente que, acidentalmente, usar mais do que 150 mg de anfepramona por dia deve prestar atenção a reações como respiração exageradamente rápida, confusão, alucinações e estados de pânico, seguidos de cansaço.

Não existe um antídoto específico para anfepramona. Procure imediatamente um hospital, que fará tratamentos sintomáticos, lavagem gástrica e controle das funções vitais. Caso haja hipertensão forte, recomenda-se usar fentolamina por via endovenosa, mas sempre com auxílio médico.

Precauções

A principal recomendação é não usar a anfepramona por mais de quatro semanas. Se seu médico quiser continuar o tratamento com esse remédio, ele deverá fazer uma pausa de um mês. Um dos motivos disso é o poder de dependência da substância.

Crianças menores de 12 anos, grávidas e lactantes não podem usar esse medicamento. Diabéticos, cuidado: os comprimidos contém açúcar. Dirigir ou operar máquinas pesadas não são atividades recomendadas durantes o tratamento.

Anfepramona bula

Interação da Anfepramona com outros remédios

-anestesias ministradas por inalação: quando usada junto com a anfepramona, pode provocar arritmias cardíacas

-remédios para diabetes: podem ser alteradas as concentrações de glicose no sangue

-anti- hipertensivos: os efeitos hipotensores podem ser diminuídos

Armazenamento

Como a maioria dos medicamentos, a anfepramona deve ser mantida em temperatura ambiente, ou seja, entre 15° e 30°C. Sempre mantenha os comprimidos na embalagem original, onde estarão impressos a data de fabricação e de validade.

 

Antes e depois de usar a Anfepramona

Apesar de haver muitas polêmicas quanto ao uso de remédios emagrecedores, há inúmeros relatos de pacientes que se curaram da obesidade a partir de um tratamento que começou com medicamentos. Também há relatos de óbitos em caso de uso indiscriminado, mas quando há acompanhamento médico, os índices reduzem muito.

O mais importante para a vida depois da anfepramona é manter uma rotina saudável, como novos hábitos alimentares e o costume da prática de exercícios físicos. Se não houver essa mudança, o corpo readquire rapidamente os quilos perdidos.

Anfepramona antes depois

Anfepramona antes e depois

Anfepramona Preço

A anfepramona é um medicamento controlado e, seguindo uma portaria da Anvisa, só pode ser vendido com uma receita especial, do tipo B2, e retenção por parte do farmacêutico. O médico que receitar e o paciente terão que assinar um termo de responsabilidade.

No entanto, existem preços disponíveis na internet para consulta:

  • 25 mg, 20 comprimidos – preço médio de R$ 15,00
  • 75 mg, 20 comprimidos – preço médio de R$ 35,00
  • 25 mg, 60 comprimidos – preço médio de R$ 80,00

Pergunta dos leitores

Anfepramona ou sibutramina, qual usar?

Cada medicamento tem riscos e benefícios que devem ser avaliados pelo seu médico. Mas podemos dizer aqui que a anfepramona é um inibidor de apetite de ação catecolaminérgica que induz a anorexia. Já a sibutramina inibe a receptação de serotonina e noradrenalina, o que aumenta sensação de saciedade e faz com que o paciente coma menos.

Anfepramona emagrece em quanto tempo?

Apesar de o tratamento durar um mês, o efeito do remédio dura 84 dias e pode gerar emagrecimento de 9,7 a 17,5 kg.