Ansitec – Bula, Para que Serve, Como Usar, Efeitos Colaterais, Contraindicações

A ansiedade é considerada o mal do século. Pelo dicionário ela pode ser considerada como “grande mal-estar físico e psíquico; aflição, agonia”, dentre outros termos. Porém, na prática só quem vive e sente a ansiedade pode perceber o mal que ela pode se tornar e afetar a nossa vida.

Transpirar, tremer e gaguejar. Esses são apenas alguns dos vários sentimentos provocados pela ansiedade, que acaba deixando os nervos a flor da pele. É normal muitas pessoas associarem crises de ansiedade com depressão, pois os sintomas são bem parecidos, mas vivenciando a depressão e a ansiedade percebemos que as suas reações são bem diferentes.

A ansiedade é vista como uma das grandes manifestações de sentimentos das pessoas nos tempos modernos, afinal todo mundo vive ansioso, na correria do dia a dia, com esses avanços tecnológicos e dessa vida regrada que acaba nos obrigando ás vezes a se comportar como uma máquina.

Vivemos sempre ansiosos com o nosso futuro, nosso emprego, nossa família, nossas conquistas e a pressão acaba fazendo parte de todos esses objetivos que temos que alcançar. O que se torna um problema é quando a ansiedade se torna uma preocupação, medo, pavor, deixando todos os sentimentos em evidência, podendo causar pânico.


Os sintomas de ansiedade devem ser constantes, caso seja passageiro não tem problema nenhum, afinal quem nunca ficou preocupado para encontrar alguém que já não vê faz tempo, ou que nunca ficou nervoso por ter algum compromisso importante no dia seguinte e nem conseguiu dormir?!

ansitec buspirona

Pois bem… Quando a ansiedade é apenas em casos esporádicos é comum. Porém, aumentam cada vez mais, não só no país, mas em toda a parte do mundo, sintomas como esses se tornarem rotineiros, chegando num estágio de desgaste emocional, onde o paciente deve procurar um tratamento, o pior é que o paciente demora a identificar que está sofrendo desse mal, justamente por viver intensamente essa rotina.

São uma série de fatores que causam a ansiedade, pois ela está diretamente ligada ao nosso sistema mental, onde os sintomas costumam ser mais frequentes psicologicamente, do que na pele. Conheça alguns sintomas:

Medos Irracionais: Fatores como medo de animais, medo de voar ou até mesmo de estar em meio a uma multidão. Apesar de as pessoas associarem a fobia, quando esse medo se torna constante, acaba se tornando um transtorno.

Autoconsciência: Não é comum que todas as pessoas cheguem em uma festa e comece a conversar logo de cara, beber e comer a vontade, sempre existe um pouco de autoconsciência, cautela, mas quando ela começa a se tornar um mal assim que a pessoa se sente tão inconveniente de realizar uma tarefa, que desiste dela, tremem, se avermelham e suam, já é motivo de preocupação.

Lembranças ruins: Quando temos marcas negativas em nossas vidas, acaba se tornando traumático certas coisas e isso pode resultar á médio prazo um transtorno de ansiedade á partir do momento que essa lembrança começa a aparecer em sua mente com frequência.

Perfeccionismo: Podendo ser associado a uma síndrome, esse sintoma do perfeccionismo aparece em nossas vidas devido as pressões diárias, onde sempre queremos que as coisas aconteçam da forma que havíamos planejado. O perfeccionismo é tanto que tais pessoas nem se dão conta de que toda essa preocupação para que as coisas deem certo é na verdade uma ansiedade para ouvir opiniões positivas de quem as julgam.

Esses são apenas alguns dos mais comuns em dias atuais. Entretanto, existem vários outros sintomas, como: pânico, vergonha de sair, vergonha de falar em público, compulsividade, dentre outros sintomas psicológicos.

Além dos sintomas citados acima, também existem sintomas físicos como insônia, roer unhas, tensão muscular, dores, entre outros. A ansiedade está presente em nossas vidas do tempo todo e são inúmeros remédio que auxiliam no tratamento desse transtorno.

O Ansitec é recomendado nesses casos, pois o seu princípio ativo, Cloridrato De Buspirona, não causa dependência proporcionando um tratamento ainda mais eficaz para as crises de ansiedade.

Para que serve o Ansitec

Ansitec serve para o tratamento de distúrbios de ansiedade, como o transtorno de ansiedade generalizada e no alívio em curto prazo dos sintomas da doença que pode ser acompanhada ou não de depressão.

A ansiedade generalizada acaba se manifestando por sintomas como o da tensão motora (que é quando a instabilidade emocional provoca uma série de reações como tremedeira, agitação, dores musculares, cansaço, inquietação, visão dupla e facilidade de levar susto).

Também se manifesta a hiperatividade do sistema nervoso autônomo (que é quando acontece calafrios, palpitações, boca seca, tontura, delírio, formigamento das mãos, vontade excessiva de urinar, diarreia, dor no estômago, nó na garganta e palidez).

Outro sintoma é o da expectativa apreensiva (que é quando a ansiedade provoca medo, pressentimento que algo ruim vai acontecer).

Sintoma de  vigilância e vigília (que é quando há dificuldade de concentração, insônia, sensibilidade extrema, irritabilidade excessiva e impaciência).

O Ansitec é indicado para o tratamento de todos esses casos, claro que com um período controlado, pois o uso do medicamento não é recomendado para mais de 6 meses. É importante o paciente fazer o acompanhamento com o seu médico.

Como funciona o Ansitec

Ansitec é um medicamento que proporciona aliviar a ansiedade sem causar efeitos sedativos, relaxamento muscular ou sonolência. Sua ação é rápida e se dá em cerca de 60 a 90 minutos após a primeira dosagem.

Como tomar Ansitec (posologia)

A dosagem inicial do medicamento é de 15 mg diários (5 mg durante 3 vezes ao dia). É recomendado que a ingestão do medicamento ocorra sempre nos intervalos das refeições café da manhã/almoço/jantar.

O Ansitec deve ser ingerido sempre no mesmo horário todos os dias, podendo ser com ou sem alimentos.

Para que o medicamento corresponda ao efeito de forma eficaz, a cada 2 ou 3 dias a dose poderá ser aumentada em 5 mg por dia, se necessário.

A dosagem máxima diária permitida do medicamento não deve exceder 60 mg. Para maior comodidade dos pacientes, o Ansitec 10 mg é apresentado em comprimidos sulcados que permitem, quando do reajuste posológico, reparti-los ao meio.

O paciente deve seguir a orientação médico, sendo o período médio solicitado de 3 a 4 semanas para o tratamento.

Composição do Ansitec

Cada comprimido de 5 mg do medicamento possui  5 mg de  cloridrato de buspirona (principio ativo). Em seus excipientes contém: dióxido de silício, óxido férrico amarelo, celulose microcristalina, lactose monoidratada, povidona, estearato de magnésio e croscarmelose sódica.

Cada comprimido de 10 mg do medicamento possui 10 mg de cloridrato de buspirona (principio ativo) e em seus excipientes contém: estearato de magnésio, celulose microcristalina, óxido férrico amarelo, lactose monoidratada, croscarmelose sódica, dióxido de silício, povidona e corante azul indigotina.

Contraindicação do Ansitec

O Ansitec é contraindicado em pacientes que possuem alergia aos componentes do medicamento.

O medicamento é contraindicado para pacientes menores de 18 anos de idade e que tenham epilepsia.

Pacientes que tenham intoxicação aguda por álcool, usem soníferos, analgésicos ou drogas antipsicóticas, não devem utilizar o Ansitec.

O medicamento é contraindicado em pacientes que tenham insuficiência renal e hepática graves e com história de crises convulsivas.

O Ansitec é contraindicado em gestantes e mulheres que estejam amamentando. Caso haja suspeita ou confirmação de gravidez, o paciente deve interromper o uso do medicamento e procurar o seu médico.

Efeitos colaterais do Ansitec

Assim como todos os medicamentos, o Ansitec também pode causar efeitos colaterais. Confira abaixo as reações adversas do Ansitec:

Reações comuns (ocorre em até 10% dos pacientes): Tontura, dores de cabeça e sonolência.

Reações raras (ocorrem entre 1% a 5% dos pacientes): Tensão, nervosismo, insônia, falta de concentração, depressão, estado confusional, alterações do sono, raiva, visão turva, tremedeira, zumbido no ouvido; taquicardia, dor no peito,  congestão nasal, dor de garganta, enjoo, dor abdominal, boca seca, diarreia, constipação, vômito, suor frio, lesões na pele e fadiga.

Reações raríssima (ocorrem entre 0,1% a 1% dos pacientes): inchaço na pele, equimose, urticária, transtornos psicóticos, labilidade emocional, inquietação, sudorese, rigidez muscular com movimentos circulares irregulares, distonia, desmaios, amnésia, retenção urinária e galactorreia.

Precauções

O uso de Ansitec não é recomendado caso você esteja utilizando antidepressivos inibidores da monoamino oxidase (IMAO). Pois, pode ocorrer hipertensão arterial.

O medicamento não pode ser administrado por pacientes com crises epiléticas.

Pacientes que possuem glaucoma de ângulo agudo ou fechado, dependência a drogas,  com problema hereditário raro de intolerância à galactose, deficiência da enzima lactase, história de insuficiência renal ou hepática, devem utilizar o Ansitec com cautela.

O Ansitec não é sedativo como outros medicamentos, porém durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois o medicamento pode interferir em suas habilidades.

Há potencial para reações de abstinência em pacientes dependentes de drogas sedativas/hipnóticas/ansiolíticas.

Não é necessário ajuste de dose com base na idade ou no sexo do paciente.

O cloridrato de buspirona  é metabolizado pelo fígado e excretado pelos rins. Sendo assim, não é recomendado o uso de Ansitec a pacientes com problema de insuficiência nos rins ou fígado.

Interação do Ansitec com outros remédios

Existem interações medicamentosas do Ansitec sendo administrado ao mesmo tempo com medicamentos que tenham haloperidol, trazodona, diazepam, eritromicina, itraconazol, nefazodona, diltiazem, verapamil, rifampicina, cetoconazol, ritonavir, dexametasona, fenitoína, fenobarbital, carbamazepina, cimetidina, classes dos medicamentos inibidores da monoaminoxidase – IMAOs (alguns tipos de antidepressivos) e inibidores seletivos da recaptação de serotonina -ISRSs (alguns tipos de antidepressivos) e suco de grapefruit (toranja).

A ingestão de Ansitec junto com alimentos não prejudica a sua atividade, mesmo causando diminuição na sua velocidade de absorção.

De acordo com estudos clínicos comprovados, o Ansitec não interferi com os testes clínicos laboratoriais comumente empregados.

Superdosagem do Ansitec

A dose máxima tolerada de Ansitec é de 375 mg ao dia. Em casos de superdosagem, o paciente deve procurar imediatamente uma emergência médica.

Armazenamento

Ansitec comprimidos deve ser armazenado em sua embalagem original e em temperatura ambiente, protegido da luz e umidade.

Informações como número de lote, data de fabricação e prazo de validade estão expostas na embalagem do medicamento.

O comprimido Ansitec 5 mg possui aparência circular, de coloração amarela e biconvexos. O comprimidos Ansitec 10 mg possui aparência circular, de coloração verde claro, sulcados e biconvexos.

Ansitec Preço

O Ansitec, que é um medicamento que auxilia no tratamento de distúrbios de ansiedade, pode ser encontrado em farmácias e drogarias de todo o país.

O Ansitec custa em média R$23,10 a R$44,90. Para adquirir o produto é necessário a apresentação da Receita de Controle Especial Branca 2 vias.

Ansitec Genérico

Buspirona é um medicamento similar ao Ansitec. Possui o mesmo principio ativo (cloridrato de buspirona) que possui eficácia no tratamento de ansiedade.  O seu preço médio é de R$ 30,00.

Pergunta dos leitores

Ansitec emagrece ou engorda?

O medicamento não emagrece e nem engorda. O que acontece é que a ansiedade reage de acordo com o organismo da pessoa. A pessoa ansiosa pode colocar toda a sua tensão na comida, o que acaba engordando se não tiver uma dieta regrada. Outras pessoas reagem perdendo o apetite.

Ansitec da sono?

Não, o Ansitec não causa nenhum tipo de efeito sedativo, como a sonolência, por exemplo.

Ansitec tira fome?

O medicamento não tira a fome, o que pode ocorrer é uma reação adversa que pode ocasionar a perda do apetite.