Depo-Provera Bula: Para Que Serve? Como Funciona? Engorda Mesmo?

Depo-provera é um medicamento contraceptivo de uso injetável, produzido pelo laboratório Laboratório: Pfizer

Para que serve o Depo-Provera

Depo-Provera injetável está indicado como uma medicação progestacional (tem a função de simular os efeito da progesterona no corpo das mulheres). É recomendado em situações em que se faz necessária a reposição da progesterona. Também é usado para o tratamento da endometriose (segmentos de endométrio fora do útero).


Como funciona o Depo-Provera

O Depo-Provera se trata de uma progestina sintética (espécie de progesterona sintética que provoca a inibição da ovulação pelo organismo da mulher). Ao provocar a inibição da produção de gonadotrofina (hormônio que é produzido pela hipófise), previne-se a maturação dos folículos.

O medicamento ainda estimula o endométrio a migrar para a fase proliferativa (fase que acontece logo depois do período menstrual, onde o endométrio se multiplica para a regeneração das camadas expelidas durante a fase menstrual) para a etapa secretora (etapa em que o endométrio já pode receber a implantação do  embrião).

Como usar o Depo-Provera

É recomendado que a ampola de Depo-Provera, antes do uso, seja vigorosamente agitada, até que a suspensão se torne um líquido de aspecto homogênico. A aplicação do medicamento deve ser feita via intramuscular (dentro do músculo).

A posologia recomendada é:

– Medicação Progestacional (reposição do hormônio progesterona – efeito contraceptivo): seguir a indicação do médico, que avaliará a melhor dose e a duração do tratamento para um resultado eficaz da medicação.

– Para  o tratamento da endometriose: aplicar 50 mg por via intramuscular 1 vez por semana ou aplicar 100 mg por via intramuscular a cada 2 semanas. Ambas as recomendações de uso devem ser seguidas por pelo menos 6 meses.

Depo-Provera

Composição

Cada ml do medicamento Depo-Provera (apresentação suspensão injetável) contém 50 mg da substância  acetato de medroxiprogesterona. Além dos excipientes: polissorbato 80, macrogol, metilparabeno, cloreto de sódio, hidróxido de sódio, propilparabeno, água para injetáveis e ácido clorídrico.

Contraindicação

O Depo-Provera está contraindicado para:

  • mulheres gestantes ou com suspeita de gravidez
  • pessoas com hipersensibilidade ao acetato de medroxiprogesterona ou a qualquer um dos componente da fórmula
  • mulheres com  vasculopatias (enfermidades nos vasos sanguíneos)
  • em casos de tromboembólicas, com formação de trombos ou não
  • pacientes que apresentam disfunções hepáticas ou qualquer problema grave nas funções do fígado
  • mulheres que apresentam sangramentos vaginais por causas não conhecidas ou não diagnosticadas
  • pessoas com suspeitas ou dignóstico de neoplasia (câncer de mama)
  • mulheres com suspeitas ou diagnóstico de câncer na região da genitália
  • pessoas do sexo masculino.

Efeitos colaterais do Depo-Provera

Os efeitos colaterais possíveis e conhecidos do Depo-Provera podem incluir:

  • Problemas gástricos
  • Cefaleias e dor de cabeça
  • Tensão nas mamas
  • Náuseas
  • Alterações da libido
  • Alterações no  humor
  • Ganho ou perda de peso corporal
  • Sangramento de escape
  • Inchaços na região abdominal
  • Sangramento irregular, podendo ser amenorreia ou sangramento abundante
  • Redução da libido
  • Anorgasmia
  • Redição da tolerância ao uso de lentes de contato
  • Diminuição parcial ou total do crescimento de pelos ou de cabelos
  • Câimbras nos membros inferiores
  • Mudanças no tamanho das mamas
  • Sangramento retal
  • Dificuldades no retorno da capacidade da fertilidade
  • Aparecimento de nódulos nas mamas
  • Sangramento nos mamilos
  • Taquicardia

Estudos que requerem cuidados na utilização de Depo-Provera

Alguns estudos relacionam ainda o uso da medicação Depo-Provera ao aumento do risco da usuária desenvolver câncer de mama. Também tem sido observados o surgimento de coágulos sanguíneos nas pernas, nos braços, nos olhos e nos pulmões. Ainda, suspeita-se que o uso de Depo-Provera pode causar acidente vascular cerebral (AVC ), redução ou perda parcial ou total da visão e outros problemas oculares, além de casos de convulsões.

Depo-Provera também tem demonstrado efeitos colaterais nos ossos, como redução da densidade mineral óssea. Essa perda óssea apresenta-se com maior incidência de acordo com o tempo de uso do medicamento. Além disso, o problema pode não ser totalmente reversível, mesmo com o abandono do uso de Depo-Provera.

Não há relatos suficientes que indicam efeitos colaterais indesejáveis do uso de Depo-Provera por adolescentes ou início da fase adulta. Como em  tais períodos ainda existe crescimento ósseo, o uso do medicamento pode reduzir o pico de massa óssea – o que pode aumentar o risco de fraturas devido à osteoporose mais tarde.

Atenção! Procure um serviço de atendimento médico com urgência caso você esteja usando Depo-Provera e apresentar:

  • tosse com sangue
  • dor aguda no peito
  • súbita dor de cabeça intensa com vômitos
  • falta de ar súbita (o que pode indicar coágulo no pulmão)
  • problemas de visão
  • tonturas
  • desmaios
  • fraqueza ou dormência em um braço ou perna (o que pode indicar acidente vascular cerebral)
  • problemas na fala
  • sangramento vaginal intenso
  • dor ou inchaço na panturrilha (o que pode indicar a presença de coágulos nas pernas)
  • sangramento ou presença de pus no local da injeção da medicação
  • dor na região abdominal inferior persistente
  • urticárias
  • olhos ou pele com aspecto amarelado
  • dificuldade para respirar.

caixa de Depo-Provera

Superdosagem

No caso de superdosagem de Depo-Provera é recomendado procurar um serviço médico de atendimento. Medidas de suporte sintomáticas podem ser necessárias à paciente.

Precauções

O uso de Depo-Provera requer algumas precauções. São elas:

Em casos de perdas de sangue pela vagina imprevisíveis durante o uso do medicamento recomenda-se procurar o seu médico. Depo-Provera tem demonstrado que pode piorar quadros de depressão, de retenção de líquidos e de diabetes. Recomenda-se informar ao seu medico se você sofre ou já sofreu de depressão antes de começar o tratamento com Depo-Provera. Informe também ao médico a existência de hipertensão ou de diabetes.

Estudos revelam que o uso Depo-Provera pode modificar  resultados de alguns exames laboratoriais, como do colo do útero.  Se for realizar exames exames laboratoriais, comunique ao médico que realizará os exames sobre uso de Depo-Provera.

Caso ocorram perda parcial ou completa e súbita da visão ou aparecimento de protusões no globo ocular, procure um médico. O mesmo serve para casos de visão dupla, dores de cabeça e enxaqueca. A medicação, nesses casos, costuma ser suspensa até se obter resultados de exames indicados para os casos descritos.

Outras Precauções para o uso de Depo-Provera

Informe ao seu médico, antes de começar o tratamento com Depo-Provera você apresenta:

  • Histórico que possa indicar fatores de risco para problema de fraqueza nos ossos, como osteoporose ou outras doenças
  • Ciclo menstrual Período irregular
  • Histórico ou presença de anorexia nervosa
  • Histórico familiar de câncer de mama
  • Histórico, suspeita ou presença de câncer de mama
  • Problemas fibrocísticos na mama, como nódulos
  • Suspeitas de resultados anormais de mamograma anormal
  • Problemas de rins
  • Sangramento nos mamilos
  • Histórico de derrame cerebral
  • Pressão alta
  • Enxaquecas
  • Suspeita ou presença de coágulos sanguíneos em pernas, braços ou pulmões
  • Epilepsia
  • Asma
  • Quaisquer outros problemas de saúde em geral

Demais precauções importantes

Vale saber que a utilização de  estrogênios conjugados combinados com a substância medroxiprogesterona tende a aumentar o risco de demências em pacientes a partir de 65 anos ou no período pós-menopausa. Nesses casos o médico costuma contraindicar o uso de Depo-Provera.

Estudos indicam que o uso prolongado de Depo-Provera costuma aumentar o risco de ataques cardíacos, trombose venosa profunda (TPV), embolia pulmonar, derrame, embolia pulmonar e câncer de mama pacientes no período pós-menopausa em  terapia com estrogênio e progesterona. Nesses casos o médico também costuma não indicar o uso da medicação.

Além disso, comunique o seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando – seja com ou sem prescrição médica. Esses medicamentos incluem, inclusive, suplementos naturais e de ervas e vitaminas e suplementos de ervas. Depo-Provera pode ter interação com outras substâncias, Tais interações podem causar efeitos colaterais. Por vezes, o médico pode alterar a prescrição de outras drogas enquanto a paciente estiver em tratamento com Depo-Provera.

Também informe o seu médico caso você faça uso de:medicamentos para convulsões, medicamentos com efeito sedativo, antibióticos, bosentana, griseofulvina, antibióticos; medicamento para o tratamento de  HIV, Erva de São João e aminoglutetimida. Tais medicamentos podem interagir com Depo-Provera.

Casos de emergência sob uso de Deprovera

Ressalta-se ainda que existem casos da ocorrência de gravidez ectópica (gestação fora do útero) em pacientes que engravidaram utilizando o Depo-Provera. A gestação ectópica é uma condição de emergência médica e que costuma apresentar a necessidade de intervenção cirúrgica o quanto antes. Gravidez ectópica pode causar na gestante hemorragias internas, infertilidade e até mesmo o óbito – se a mulher não for atendida emergencialmente.

Também, a utilização de Depo-Provera pode agravar sintomas de doenças como: lupus, epilepsia, asma e porfiria.

Recomenda-se não consumir bebidas alcoólicas ou fumar regularmente durante o uso de Depo-Provera.

Não deve causar preocupação se quantidades da medicação ficarem retidas na ampola de Depo-Provera. A dosagem fluida dentro da ampola é suficiente para se obter os resultados esperados da utilização do medicamento.

Interação do Depo-Provera com outros remédios

caixa de Depo-Provera

Depo-Provera pode apresentar interação com outros remédios – sejam de procedência natural ou alopáticos.

Alguns medicamentos que podem reduzir a eficácia de Depo-Provera são: bosentana, barbitúricos, felbamato, carbamazepina,  oxcarbazepina, griseofulvinam, rifampicina, fenitoína, topiramato e Erva de São João.

A aminoglutetimida, quando administrada concomitantemente com Depo-Provera pode reduzir de forma significativa as concentrações séricas do acetato de medroxiprogesterona, reduzindo a eficácia da medicação.

Depo-Provera Preço

Depo-Provera injetável custa em torno de R$ 35,28, incluindo a seringa para a aplicação.

O preço pode sofrer alterações dependendo do estabelecimento que comercializa o produto.

A aquisição do medicamento não requer a apresentação ou a retenção de receituário médico. Porém, não se recomenda usar o medicamento sem indicação médica, pois pode trazer sérios riscos a sua saúde.

Depo-Provera Genérico

Até o momento não existem versões genéricas para Depo-Provera injetável, somente medicações similares fabricadas por outros laboratórios.

Pergunta dos leitores

Depo-Provera engorda?

O aumento de peso é um dos efeitos colaterais do Depo-Provera. Assim, as usuárias podem engordar com o uso da medicação.

Quanto tempo demora para Depo-Provera fazer efeito?

Depo-Provera começa fazer efeito imediatamente após a sua aplicação por via injetável intramuscular.

Posso usar Depo-Provera durante a menstruação?

Sim, não há contraindicações para usar Depo-Provera durante a menstruação.