Erisipela – O Que é? Qual o Tratamento? Tem Cura? É Contagiosa? Causas, Sintomas!

A erisipela é uma infecção grave que ocorre na pele, se espalhando nas pernas, braços e rosto. A doença causa muito desconforto para o paciente com fortes dores, sendo necessário iniciar o tratamento o mais rápido possível. Veremos a seguir a causa da erisipela, sintomas, prevenção, se a mesma é contagiosa e o tratamento.

O que é Erisipela?

Erisipela é uma infecção da camada superficial da pele que causa feridas vermelhas. As manchas ficam inflamadas, causando dores e desenvolvem principalmente nas pernas, rosto e braços, porém dependendo da inflamação ela pode atingir qualquer parte do corpo.

Erisipela é uma doença mais frequente em pessoas com mais de 50 anos de idade, pacientes diabéticos e obesos. A doença pode se agravar formando uma bolha com líquido transparente, amarelo ou marrom. Por mais que seja uma doença grave, a erisipela tem cura, porém é necessário iniciar o seu tratamento com antibióticos adequados.

O paciente deve seguir o tratamento de forma adequada, buscando tanto a orientação do seu médico e dermatologista, pois mesmo após a cura, em alguns casos esta doença pode voltar a surgir ou se tornar crônica, sendo difícil a sua cura definitiva.


Sintomas da Erisipela

Erisipela pode matar

Como se trata de uma doença perigosa, a erisipela deve ser tratada o quanto antes. Por isso é importante se atentar aos sintomas da doença:

Manchas vermelhas: As manchas podem ser espalhadas por todo o corpo. Porém elas permanecem em maior intensidade nos braços, rosto e em 80% dos casos afetam as pernas.

Desconforto: As manchas causam desconforto em todo o corpo. Onde a sensação de queimação constante da pele é um dos principais sintomas do surgimento da doença.

Aumento das manchas: Quando a doença já está em estágio avançado ela começa a se manifestar em tamanho grande, tornando-se grandes feridas.

Por isso é extremamente importante que o paciente procure uma orientação médica assim que surgirem os primeiros sinais da doença, pois as bactérias podem acumular pus, causar necrose da pele e até mesmo atingir a circulação sanguínea, causando infecção generalizada e, até mesmo, risco de morte.

Causas

A erisipela acontece quando as bactérias que colonizam o corpo penetram através da pele por alguma entrada.  Geralmente, uma ferida, que pode ser através de uma picada de inseto, úlcera venosa crônica, manipulação inadequada das unhas. Ou até mesmo frieiras, sendo esses os motivos para que a erisipela aconteça nos pés e pernas.

Qualquer pessoa pode ter a doença. Porém em pacientes com o sistema imunológico fragilizado, pessoas obesas ou com má circulação sanguínea são as principais afetadas. A melhor forma de evitar que a doença se agrave é tratando de maneira adequada qualquer ferimento na pele. Além de mantê-los protegidos para inibir uma nova infecção.

A bactéria que provoca a doença é a Streptcoccus pyogenes, também conhecida como Estreptococo beta-hemolítico do grupo A, porém outras bactérias que também estão presentes na pele podem causar lesões atingindo camadas da pele e tecidos linfáticos, que também provocam ferimentos e inflamações que estão associados á doença.

Diagnóstico

O diagnóstico da erisipela deve ser feito pelo clínico geral ou dermatologista. O diagnóstico é de forma sintomática, não sendo necessário realizar outros tipos de exames.

Com a apresentação dos sintomas, o paciente deve procurar uma emergência médica com urgência para que a doença seja identificada o mais rápido possível e que seja evitada complicações.

Tratamento da Erisipela

A erisipela pode ser tratada em casa, onde o paciente deverá utilizar antibióticos como Penicilina, Amoxicilina ou Ciprofloxacino. Esses medicamentos devem ser tomados por cerca de 10 a 14 dias, porém os horários de dosagem e duração do tratamento deverão ser recomendados pelo médico.

Já em pacientes que apresentem lesões graves de erisipela, como necrose e secreção purulenta, pode haver necessidade de uma abordagem cirúrgica, removendo e drenando grandes áreas de pele morta e pus.

Prevenção

Cuidados com a higiene pessoal são de extrema importância para prevenir a doença. Assim como evitar ficar muito tempo em uma mesma posição.

Cuidar da alimentação também é uma forma de prevenção. Pois uma alimentação regrada evita a obesidade que é uma das causadoras da erisipela.

É importante durante o tratamento que o paciente siga todas as recomendações para que não tenha recaída. Pois num primeiro momento o medicamento irá agir de forma analgésica e anti-inflamatória. Tratando a lesão num primeiro estágio, onde a volta da doença também irá depender do paciente.

Erisipela sintomas

Erisipela é contagiosa?

Por ser uma inflamação causada por uma bactéria, a erisipela pode ser considerada contagiosa. Esse tipo de contagio ocorre quando o paciente possui feridas abertas e não tratadas. Fazendo com que a bactéria seja transmitida pelo ar, pelas roupas e até mesmo pelo contato físico.

Pessoas que convivem com pacientes com erisipela devem manter cuidado em relação a higiene, pois a transmissão da bactéria se torna mais acessível. O ideal é que você não compartilhe roupas, toalhas, sabonetes, sofás e até mesmo talheres de pacientes com erisipela.

Fatores de risco

Quanto mais cedo for tratada a doença, mas chances de se curar definitivamente o paciente terá. No tratamento da doença, caso o paciente já esteja tomando os medicamentos de forma adequada por mais de 2 semanas e ainda sim, não tenha apresentado resultados de melhorias, o paciente deverá voltar ao médico para um novo diagnóstico.

A doença tratada por mais de 2 semanas sem eficácia é um fator de risco, podendo se tornar crônica. Também é necessário cuidados específicos durante o tratamento para que a erisipela não se espalhe para as articulações do corpo.

O paciente também deverá se atentar para não passar a doença para os seus familiares e amigos. Afinal deve ser evitado qualquer tipo de compartilhamento de objetos. Além de ter atenção redobrada com a higiene pessoal.

Diferenças de Erisipela e Celulite

Erisipela e celulite são dois tipos de infecção na pele, onde as duas provocam vermelhidão, dores e inchaço em todas as áreas do corpo. A principal diferença entre elas é a profundidade que a infecção atinge.

Enquanto a erisipela atinge as camadas mais superficiais da pele, a celulite atinge as camadas mais profundas e também, a camada de gordura que fica embaixo da pele.

Erisipela tratamento

Pergunta dos leitores

Existe um tratamento caseiro da Erisipela?

Sim, como forma de facilitar a recuperação do paciente. Existe além do tratamento com medicamentos, recomendações caseiras para a recuperação de um paciente que tenha erisipela. Como repouso (quando a doença atinge as pernas e os braços) e uso de meias elásticas e contenção (nos casos de inchaço). Também a aplicação de compressas frias molhadas em infusão de zimbro sobre as regiões afetadas.

Erisipela pode matar?

Existe risco de morte em casos do estágio avançado da doença, tratamento de forma inadequada e também quando as bactérias acumulam pus ou atingem a circulação sanguínea, pois quando a infecção fica generalizada, a erisipela pode matar.