Esofagite – O Que é? Quais os Sintomas? Qual Remédio Tomar? Causas!

A Esofagite é uma inflamação que ataca o esôfago e pode se manifestar de 4 formas.

O que é Esofagite?

Esofagite trata-se de uma doença inflamatória que afeta o esôfago – tubo que faz a ligação da porção posterior da boca ao estômago. O portador da doença sente, frequentemente, dificuldades para engolir alimentos e dores no peito.


A Esofagite pode se manifestar de 4 formas: a esofagite de refluxo, a esofagite de eosinófilos, a esofagite causada por medicamento e a esofagite infecciosa.

A categorização da doença é dada conforme aquilo que lhe ocasionou. Porém, mais de um fator pode causar a doença

Sintomas de Esofagite

Os sintomas costumam ser os mesmo, independente do seu tipo. Entre os sintomas mais comuns da doença estão:

  • Dores no peito
  • Dificuldade de engolir alimentos ou bebidas
  • Náuseas
  • Vômito
  • Alimentos que podem ficar presos no esôfago
  • Tosse
  • Dores no abdômen
  • Perda de apetite.

homem com os sintomas da Esofagite

Causas

Como mencionado, a Esofagite é classificada em 4 tipos diferentes. Cada tipo da inflamação tem causas específicas. Observe a seguir:

  • De refluxo: no sistema digestório humano, há uma estrutura simular a uma válvula. Essa estrutura impede que ácidos do estômago retornem ao esôfago,

No entanto, se essa estrutura não exerce sua função adequadamente, temos um caso de Doença do Refluxo Gastroesofágico. Ou seja, os ácidos do estômago acabam por voltar ao esôfago. Com isso está provocada a esofagite por refluxo – um quadro de inflação crônica, que causa danos nas paredes do esôfago.

  • De eosinófilos: eosinófilos são células sanguíneas que tem como função a defesa e a imunidade do organismo, Essas células auxiliam a regular possíveis inflamações e atuam de maneira importante contra reações alérgicas. A de eosinófilos se dá quando existe uma alta concentração dessas células no esôfago, como resposta a algum agente alérgico.

Outras causas da Esofagite

Normalmente, as pessoas que são infectadas com esse tipo de esofagite possuem alergia a alguns alimentos. Geralmente esses alimentos são: ovos, trigo, leite, amendoim, soja, carne bovina, feijão, centeio, entre outros. Também é possível ter como causa a alergia a pó. Nesse tipo de esofagite, as paredes do estômago ficam irritadas e inflamadas.

  • Causada por medicamento: Diversos medicamentos podem danificar os tecidos que revestem o esôfago – especialmente se eles permanecerem muito tempo em contato com as paredes do órgão. A esofagite causada por medicamentos também pode se se dar pelo fato de ingerir remédios e pílulas com pouca água – pois, dessa forma, a substância acaba causando inflamação no esôfago.

 

  • Infecciosa: pode ser causada por uma infecção bacteriana, viral, por fungos ou parasitas que atacam o tecido do esôfago. Trata-se do tipo mais raro da doença e costuma acometer pessoas com baixa imunidade, especialmente portadores de câncer ou HIV ou pessoas que usam antibióticos em excesso.

O principal agente causador da infecciosa é o fungo Candida albicans, geralmente presente na cavidade bucal.

Fatores de risco

Alguns fatores contribuem para que a esofagite se instale. Entre os principais fatores de risco estão.

  • De refluxo: tabagismo, obesidade, hérnia de hiato e gravidez podem favorecer o aparecimento da doença. Também a ingestão de alguns tipos de alimentos elevam as chances de se contrair a esofagite de refluxo, como: alimentos à base de tomates, cafeína, frutas cítricas, álcool, cebola, alho, pratos apimentados, hortelã, chocolate, entre outros.
  • De eosinófilos: esse tipo da doença está mais ligado ao histórico familiar, Geralmente apresenta a esofagite de eosinófilos quem tem alguém na família também com o problema. Históricos de outros tipos de alergias ainda são encontrados em pessoas acometidas pela doença.
  • Causada por medicamento: alguns hábitos podem desencadear a doença, como ingerir comprimidos com pouca ou sem água, tomar muitos remédios antes de dormir e engolir pílulas deitado. Pessoas idosas fazem parte do grupo de risco para esse tipo de esofagite, pois conforme a idade vai avançando, os tecidos do esôfago vão perdendo o tônus e a produção de saliva reduz significativamente – o que favorece o aparecimento da doença.
  • Infecciosa: a baixa imunidade é o principal fator de risco para a esofagite infecciosa se instalar. Algumas enfermidades, como o câncer e a Aids, que atacam diretamente o sistema imunológico das pessoas acabam deixando o indivíduo mais vulnerável a apresentar esse tipo de esofagite.

Diagnóstico

um caso de Esofagite

O diagnóstico é feito por meio de exames. Diversos exames apontam a presença da doença. Entre eles estão:

  • Raio X de Bário: nesse testes, o paciente ingere um contraste à base de Bário. Essa substância ocupa todo o forro do órgão, possibilitando que ele possa ser totalmente examinado através de equipamento de raio X, a fim de se localizar algo de anormal, como.
  • Endoscopia: com o paciente sedado, um tubo longo e fino, com uma câmera encaixada na ponta é introduzido pela garganta, até o esôfago.

Através desse exame, o médico pode perceber irregularidades no órgão, além de reter amostras para testes posteriores de laboratório. A esofagite, muitas vezes, já pode ser percebida pelo médico durante a realização do exame.

  • Testes laboratoriais: amostras do tecido das paredes do esôfago da pessoa são passam por testes laboratoriais. Os resultados apontarão a causa da inflamação.
  • Testes de alergia: exames realizados apenas para diagnosticar casos de eosinófilos. Os testes são realizados para confirmar se o paciente é alérgico. O teste consiste em se colocar pequenos e diversos extratos alergênicos na pele da pessoa por 15 minutos. Caso o paciente demonstre alguma reação, a alergia é detectada.

Tratamento de Esofagite

Medicamentos

Os medicamentos mais comumente usados para o tratamento de esofagite são:

  • Canditrat
  • Antidin
  • Esomeprazol Magnésio
  • Domperidona
  • Lansoprazol
  • Label
  • Nexium
  • Motilium
  • Pantoprazol

Prognóstico

um caso de Esofagite

Para se ter um bom prognóstico, os médicos recomendam incorporar alguns hábitos. Veja como proceder para não sofrer com a doença:

  • Evitar alimentos que podem ocasionar alergias
  • Evitar alimentos que provocam refluxo
  • Para tomar medicamentos, o faça com bastante quantidade de líquidos. Isso ajuda o comprimido a descer mais facilmente, sem raspar pelas paredes do esôfago, irritando-o
  • Emagrecer, caso apresente excesso de peso
  • Não fumar, pois as substâncias do cigarro e a fumaça agridem o esôfago

Complicações possíveis

O paciente sofre riscos de ter a anatomia do esôfago alterada, se não for tratada adequadamente. Com isso, acabam acontecendo problemas de funcionamento de todo o sistema digestivo. Além disso, se a doença não for tratada também corre-se outros riscos, como:

  • Aparecimento de tecidos estranhos nas paredes do esôfago
  • Estreitamento do esôfago
  • Mudanças nas células do esôfago, que podem até se transformar em câncer

Prevenção

Com exceção  da esofagite de eosinófilos, que costuma surgir por histórico familiar, algumas medidas podem evitar a doença.

Um exemplo é beber muita água quando for ingerir medicações. Isso faz com que o esôfago não seja forçado e que o comprimido não agrida as paredes do órgão.

Caso você tiver alergia a algum tipo de alimento ou à poeira, evite o quanto for possível comer essas comidas e ter contato com pó.

Pergunta dos leitores

Existe um remédio caseiro para Esofagite?

Não. Os únicos tratamentos que devem ser seguidos são aqueles indicados pelo médico. Não faça tratamentos caseiros indicados por pessoas não habilitadas ou ensinados na internet – pois além de não tratar a doença, pode piorá-la e colocar a sua saúde em risco.

Qual dieta posso fazer para evitar Esofagite?

A Esofagite não exclui que você faça qualquer tipo de dieta. Apenas evite aqueles alimentos que lhe causa alergias.

Um dos sintomas da Esofagite é dor nas costas?

Não, a dor nas costas não costuma ser sintoma de esofagite.