Síndrome da Pele Escaldada – O Que é? Sintomas, Causas, Tratamento!

A síndrome da pele escaldada é uma infecção causada por bactérias que apresenta rápida evolução, caracterizada pelo descolamento da camada superior da pele.

Para saber mais sobre esse problema, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber sobre ele.

O que é a síndrome da pele escaldada

A síndrome da pele escaldada por estafilococos nada mais é do que uma infecção da pele causada por  estafilococos, fazendo com que a pele se solte e descasque como se houvesse sido queimada.

Nessa doença a pele se solta e o paciente tem febre, fraqueza e também calafrios.


Embora o diagnóstico seja baseado basicamente no aspecto que a pele apresenta ainda pode ser feita uma biópsia e a doença possui um prognóstico excelente quando o diagnostico é feito adequadamente.

Quais são as causas da síndrome de hitter

Síndrome da Pele Escaldada tratamento

Alguns determinados tipos de estafilococos costumam secretar uma substância bastante tóxica. Que faz com que a camada externa da pele, a epiderme, acabe se separando das demais camadas.

O grande problema é que uma infecção estafilocócica de uma pequena área da pele pode provocas o descolamento da pele toda, visto que essa toxina se espalha no organismo.

Essa síndrome acontece predominantemente em crianças menores de 6 anos de idade e lactentes, sendo bastante rara em idosos, com exceção daqueles que possuem sistema imunológico debilitado ou insuficiência renal.

Sintomas

Os sintomas desse problema, normalmente, se iniciam por uma ferida isolada e com uma crosta, similar ao impetigo. Lembrando que no recém-nato, essa ferida inicial pode aparecer na área da falda ou ao redor do cordão umbilical remanescente.

Já nas crianças um pouco mais velhas a face é o local de início mais comum. Nos adultos, por sua vez, o problema pode se iniciar por qualquer lugar.

Em todos os acometidos por esse problema apresentam a pele crostosa em volta da infecção que fica vermelha e brilhante em apenas 24 horas, sendo áreas bastante dolorosas.

Nesse local a pele fica macia e enrugada com uma consistência semelhante a papel.

Depois disso é a vez de outras áreas apresentarem as lesões avermelhadas, com formação de bolhas que se rompem facilmente. Normalmente essas áreas são áreas maiores e distantes da infecção inicial. Especialmente áreas onde ocorre atrito, como as nádegas, pregas cutâneas, pés e mãos.

Depois disso é comum que a camada superior da pele comece a se soltar facilmente, em grandes pedaços, apenas ao toque ou pressão suave.

As áreas onde a pele já se soltou parecem escaldadas e por isso a origem do nome dessa doença: síndrome da pele escaldada.

Depois de apenas 2 ou 3 dias o paciente já está com toda a superfície da pele afetada e o mesmo adoece de forma grave, apresentando febre, debilidade e calafrios,

Além disso, o paciente acometido fica mais suscetível à ação de outras bactérias ou organismo infecciosos, visto que a barreira de proteção foi destruída. Com isso podem ocorrer diversas outra infecções, inclusive podendo se espalhar através da corrente sanguínea, em um processo que se chama sepse.

Tratamento da síndrome da pele escaldada

Sendo realizado um diagnóstico e tratamento imediatos, é muito raro que a síndrome da pele escaldada por estafilococos leve o paciente à morte. Além disso, a camada superior da pele é capaz de se renovar de forma rápida. Dessa forma, a cicatrização ocorre em um período de 5 a 7 dias depois do início do tratamento.

Esse tratamento é realizado com antibióticos intravenosos e continuado com antibióticos orais. Para aqueles pacientes que já possuem uma infecção mais avançada e férias com supuração, os médicos costumam prescrever o mesmo tratamento dado à pacientes vítimas de queimaduras.

Também podem ser utilizados cremes emolientes para a pele, a fim de ajudar a protege-la.

Diagnostico

Síndrome Pele Escaldada causas

O diagnóstico da síndrome da pele escaldada acontece, basicamente, com base no descolamento da pele. Em seguida de uma aparente infecção por estafilococos.

Caso não sejam encontrados sinais de infecção por estafilococos o médico pode solicitar a realização de uma biópsia. Nesse procedimento uma pequena amostra de pele é colhida par ser testada sem laboratório para a presença de bactérias.

Pergunta dos leitores

Síndrome da pele escaldada tem cura?

Sim, tem cura e o prognóstico é bastante favorável quando o problema é descoberto ainda cedo, no seu início. Visto que é uma infecção de rápida evolução.

Síndrome da pele escaldada é contagiosa?

A Síndrome da pele escaldada por estafilococos é um problema cutâneo de foco infeccioso que acomete principalmente crianças. Mas com uma frequência mais rara também pode ocorrer em adultos.

Visto que essa é uma infecção causada por bactérias, sim, ela é contagiosa. Podendo ser transmitida de pessoa para pessoa.

No entanto, o seu desenvolvimento na pessoa que fez o contanto irá depender da sua resposta imunológica. Assim como da resposta individual de cada pessoa que entrar em contato com esse microrganismo.

Como se pega a síndrome da pele escaldada?

Essa síndrome se pela pelo contato da pessoa com uma área infectada. As bactérias depositadas na pele através do contato começam a agir então como descrito anteriormente.